Entrevista com Auinâ, ex-zagueira do Santos e da Sel. Brasileira | ATLETA EM FOCO

Entrevista com Auinâ, ex-zagueira do Santos e da Sel. Brasileira

ATLETA EM FOCO: Como começou a sua carreira no futebol?
Auinâ: Bom, como começa essa grande história... na verdade, a maioria das
meninas começam a jogar futebol com os meninos na rua e comigo nao foi
diferente. Depois, minha professora de educação física me levou para fazer
um teste no Canto do Rio, um time de são Paulo.
AEF: E já começou na zaga?
Auinâ: Nao rsrs, tive uma experiência de jogar de atacante,
mas acabei redendo mais como zagueira.
AEF: Seus pais te apoiavam ou gostavam da idéia de ter uma filha atleta?
Auinâ: Não me davam muito apoio mas também entendo o lado deles,
os pais sempre querem o melhor para os filhos e tudo que fizeram foi
pensando no meu bem. Depois de alguns testes no Juventus,
fui aparovada e eles me ajudaram a realizar meu sonho.
Também sou muito grata as minhas professoras
Tereza Cristina e Jenilse Viana Kuil.
AEF: Como foi a primeira convocação?
Auinâ: Depois de 8 meses jogando, lá estava meu nome,
AUINÂ DANIELE DE MORAIS VIEGAS, fiquei muito feliz pois tinha
sido convocada como Zagueira para o Sul-Americano de 2006 no Chile,
toda menina sonha com a seleção e graças a Deus eu pude realizar esse
sonho. Além de tudo, Deus me deu o privilégio de jogar de titular, ao
lado da Marta, e ainda conquistamos o Sul-americano.
AEF: Você chegou a disputar o Mundial?
Auinâ: Nao, eu estava treinando muito, esperando uma oportunidade mas,
na primeira convoçao não fui liberada, na segunada convocação meu nome
já não saiu, na terceira me deu mais uma chance e não fui  pois
desloquei meu ombro... o campeonato passou e perdemos, ficamos em 3º lugar.
AEF: Quando você foi contratada pelo Santos Futebol Clube?
Auinâ: No final de 2006 sai do Juventus e fui para o Santos.
Olha como Deus faz as coisas. Eu estava para ir para o Franca no interior
de são Paulo, tava tudo certo, já tinha falado com minha família, mas Deus
sabe o que faz, se não fosse para o santos não conheceria a Palavras de
Deus e nem tinha conhecido pessoas que falaram do amor dEle para mim,
tivemos muitas coisa boas, ali aprendi muito.
AEF: Como foi a conquista do Bi-Campeonato com a Sub-20?
Auinâ: Em 2008, o Kleyton assumiu Seleçao Brasileira sub 20 e graças a Deus
fui mais uma vez convocada. Tive outra experiência, dessa vez foi bem melhor
pois estava nos caminhos de Deus, ali Ele nos honrou e muito, fomos campeãs
mais uma vez.
AEF: Como foi a sua primeira lesão de joelho?
Auinâ: Fui convocada para o mundial e nos últimos dias da preparação Deus já
estava me moldando. Tivemos um amistoso no Chile, em Coquimbo, contra o Chile
e fui titular, Deus me abençôou e um gol, mostrei a camisa "Eu amo Jesus",
e sai de lá muito feliz. Fui para Granja e tivemos mais uma semana
de treinos, fiquei em um quarto sozinha para está mais na pegada com Deus
pois iria precisar muito dEle. No último dia, um dia antes da viagem, tivemos
um amistoso contra a Nigéria.  No segundo tempo, tomei uma pacanda no joelho
e nem imaginava o que poderia ter acontecido, tive minha primeira lesão de
joelho, ali vi todos os meu sonhos caírem por água a baixo, mas, Deus sabe
que faz, fui embora para casa, triste, chorando muito. No primeiro jogo
minhas companheiras entraram com minha camisa no campo, até chorei, é muito
ruim você ver suas amigas lutando e você não poder estar lá para ajudá-las,
perdemos o mundial. No final de Dezembro, antes de operar me batizei,
entrei nas águas e ali comecei ter uma relação mais próxima de Deus.
AEF: Você voltou aos gramados, se recuperou e se machucou novamente?
Auinâ: Sim, passei por tudo isso... voltei aos gramados, mas, esqueci um
pouco de Deus pois estava  "bem", fazendo o que mais gostava mesmo com
dores, treinando. Em um jogo, me machuquei de novo. Lá estava eu para
entrar em uma nova cirurgia. Eu falava- Por que Deus? E em 2010, fui
operada denovo, mais 6 a 8 meses para recuperar. Voltei a treinar,
e fui para o jogo Santos x São Jose, não fui titular, mas estava ali no banco.
No meio do jogo, a Janaína tomou uma pancada e teve seu ligamento da coluna
rompida, entrei no lugar dela, joguei mais 10 minutos e... lá estava eu mais
uma vez chorando no campo pois havia machucado de novo,  ai me desesperei.
Mas, mesmo não estando na pegada com Deus, Ele nunca nos desampara e
estava ali comigo, cuidado, colocando pessoas para falar do amor dEle.
Nessa última recuperaço, meus 6 meses foram bem mais rápidos porque
estava com Deus ao meu lado e Ele me deu forças para conseguir enfrentar
cada dia, Ele me confortava, eu ia na sua casa, ouvia a Palavra e saia fortalecida.
AEF: Como você ficou ao receber a notícia que o Santos ia acabar com o Futebol Feminino?
Auinâ: Fiquei muito abalada, pensei: se o santos não voltar, quem vai querer uma
menina lesionada? Começamos a buscar mais a Deus, a fazer reunioes e Ele ia mandando
Palavaras para nos confortar. Quando relmente tivemos a notícia que não teria mais
o time, na hora chorei, fiquei triste, não sabia o porque nem o que Deus queria
fazer mas, sabia que Ele estava no controle e estava me confortando. Depois orei
e deixei Deus me ajudar a escolher o caminho melhor.
AEF: Você teve propostas de outras equipes, porque decidiu ir para o XV de Piracicaba?
Auinâ: Orei, pedi a direçao dEle e creio que fiz a escolha certa. Poderia ter acertado
com outro clube mas vim para o XV e aqui encontrei mais meninas para nos unirmos e
fazermos a vontade de Deus. Agora Ele está nos usando aqui e estou muito feliz.
Obrigado Senhor por ter conduzido minha vida todos esses anos, hoje já não vivo,
mas Cristo vive em mim, Ele que sabe o que é melhor, meus sonhos e projetos
estao nas maos dEle.

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.